Assunção, 17 abr (EFE) - A chefe da missão da Organização dos Estados Americanos (OEA) nas eleições gerais deste domingo no Paraguai, a ex-chanceler da Colômbia María Emma Mejía, se reuniu hoje com o presidente da justiça eleitoral para finalizar os detalhes para a jornada.

Mejía, que lidera uma missão de pelo menos 50 observadores da organização que cobrirá todos os distritos da região leste, se reuniu com o presidente do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE), Rafael Dendia.

A ex-chanceler colombiana disse a jornalistas que a América Latina "está com muita expectativa sobre os resultados das eleições do próximo domingo", pelo que significam para a democracia paraguaia.

O ex-bispo Fernando Lugo, da Aliança Patriótica para a Mudança (APC), tem uma vantagem de pelo menos seis pontos nas pesquisas de intenções de voto frente a Blanca Ovelar, do Partido Colorado, e ao general reformado Lino Oviedo, da União Nacional de Cidadãos Éticos (Unace), que se alternaram no segundo lugar.

Mejía disse que a recomendação da missão é que o TSJE "atue de forma colegiada" no dia das eleições e que haja rapidez no anúncio dos primeiros resultados extra-oficiais para que os partidos "se moderem".

Além de Dendia, o TSJE é integrado por Juan Manuel Morales e Alberto Ramírez Zamboni, que representa a segunda maior legenda do país e se mantém à margem das decisões assumidas pelos dois primeiros, afins aos Governo.

As votações de domingo, para as quais estão habilitados mais de 2,8 milhões de paraguaios de uma população de seis milhões, também serão observadas pela Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais (IFES, na sigla em inglês).

Seu chefe de missão, o ex-presidente da Colômbia Andrés Pastrana, recomendou hoje aos partidos políticos evitar discussões, ao dizer que poderia se revelar um novo cenário político no país. EFE lb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.