Missão britânica no Afeganistão poderia durar 40 anos, segundo chefe militar

Londres - O compromisso militar do Reino Unido com o Afeganistão poderia durar até 40 anos, segundo prevê o novo chefe do Estado-Maior do Exército britânico, general David Richards, em entrevista publicada hoje por The Times.

EFE |

"Acho que o Reino Unido estará comprometido com o Afeganistão de alguma maneira - desenvolvimento, governança, reforma da segurança - durante os próximos 30 ou 40 anos", disse Richards, que assumirá o cargo em 28 de agosto.

O alto comando militar acredita que as tropas serão necessárias a médio prazo para salvaguardar a segurança do país e que depois seu papel evoluirá para tarefas de supervisão e formação, apesar do processo de "reconstrução do país" se prolongar por décadas.

"Não há possibilidade em absoluto que a Otan que se retire do país", alertou o general, que comandou a Força para a Assistência à Segurança da Aliança Atlântica (Isaf) entre maio de 2006 e fevereiro de 2007.

Richards considera que o final do conflito "será difícil de definir", e admite que a campanha militar nesse país é "exigente", embora "possa ser ganha".

Leia mais sobre: Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG