Missa às vítimas do tremor no Haiti reúne 8 mil em São Paulo

Cerca de oito mil pessoas participaram nesta quinta-feira em Aparecida, em São Paulo, da missa em memória da médica Zilda Arns, de 75 anos, e dos militares brasileiros mortos durante o terremoto que atingiu dois dias atrás o Haiti. A celebração começou às 9 horas no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, com a citação dos nomes de todos os militares brasileiros falecidos e também de Zilda Arns, coordenadora internacional da Pastoral da Criança.

Agência Estado |

Durante a missa, presidida pelo Missionário Redentorista Agostinho Frasson, três agentes de segurança do Santuário levaram até o Altar Central as bandeiras do Brasil e do Haiti, além de uma grande vela. Foi feito um minuto de silêncio e executada a marcha fúnebre, enquanto as bandeiras eram colocadas no altar. Durante oração, o padre Maciel Pinheiro, Missionário Redentorista, lembrou o dia dos enfermos e relembrou o trabalho de Zilda Arns e dos militares.

"Hoje, dia dos enfermos, pedimos ao Senhor da Vida, que conforte e conceda a saúde a todos os que estão doentes. Nós nos entristecemos com a morte da Senhora Zilda Arns Neumann, Coordenadora Internacional Da Pastoral Da Criança. Ela foi uma das vitimas do terremoto, no Haiti, terça feira, dia 12 do presente mês. Estava em missão humanitária e também para participar de uma conferência com os bispos daquele país. Que ela descanse em paz e nos solidarizamos com toda sua família e suas companheiras de trabalho. Lembramos ainda de todos os militares brasileiros em missão de paz que também foram vítimas do terremoto. Que descansem em paz e que Deus, nosso Pai, conforte as suas famílias."

    Leia tudo sobre: haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG