Minorias se mobilizaram para eleição presidencial nos EUA

A eleição de Barack Obama à presidência dos Estados Unidos foi possível graças a uma mobilização sem precedentes da comunidade negra, mas também das minorias latinas e asiáticas, segundo um relatório publicado nesta segunda-feira.

AFP |

Cinco milhões de americanos suplementares votaram nesta eleição em relação à de 2004, quando foi eleito George W. Bush.

Deste total, os negros, que formam a segunda minoria dos Estados Unidos com 39 milhões de indivíduos, foram dois milhões a mais a votar, assim como os latinos, cuja comunidade é calculada em 43 milhões. Além disso, houve 600.000 eleitores asiáticos a mais nesta presidencial, que viu a vitória do primeiro candidato negro da história do país.

"A eleição presidencial de 2008 teve um aumento significativo da participação dos jovens, dos negros e dos latinos", observou Thom File, analista das eleições no Census Bureau.

No total, 206 de 300 milhões de habitantes tinham a idade legal para votar, e 146 milhões (71%) estavam inscritos nas listas eleitorais. 131 milhões de eleitores compareceram às urnas, contra 126 milhões em 2004.

O maior aumento foi registrado entre os jovens, na categoria 18-14 anos: 49% foram às urnas, contra 47% em 2004. O aumento foi ainda mais importante entre os jovens negros (+8%), com 55% dos jovens afro-americanos que votaram.

No entanto, a categoria 18-24 anos continua sendo a que vota menos. Os eleitores de mais de 65 anos são os que votam mais (70%), e logo depois vêm os da categoria 45-64 anos (69%).

No total, brancos e negros tiveram participação semelhante na eleição presidencial de 2008, com 66% para os brancos e 65% para os negros.

A diferença foi maior entre as mulheres e os homens, com 66% para 62%.

A participação foi maior nos estados do Middle West (66%), e menor no Hawai - onde o presidente cresceu - e Utah (55%).

vmt/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG