Ministros sul-americanos definem em Caracas estratégia energética

Caracas, 8 mai (EFE) - Representantes dos 12 países que formam a União de Nações Sul-americanas (Unasul) participam hoje, em Caracas, do 1º Conselho Energético da América do Sul, reunião prévia à próxima Cúpula que será realizada pelo grupo em Brasília.

EFE |

Ministros de Brasil, Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Uruguai e Venezuela, além dos embaixadores de Suriname, Peru e Paraguai na Venezuela, abordarão a estratégia sul-americana em matéria energética, indicaram fontes oficiais venezuelanas.

O ministro venezuelano de Energia e Petróleo, Rafael Ramírez, inaugurou o encontro esta manhã na sede caraquenha da Petróleos de Venezuela S/A (PDVSA), que promove as conversas.

Na reunião a portas fechadas, os ministros participantes, titulares de pastas de Energia ou de Economia, revisarão as conclusões as quais chegaram os delegados dos 12 países em entrevistas prévias na capital venezuelana, disse à Agência Efe uma fonte da PDVSA.

Segundo a fonte, o encontro é um "passo prévio" à cúpula que será realizada pelos presidentes da Unasul em Brasília no dia 23 de maio.

Da reunião participam, além de Ramírez, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, os titulares argentinos de Planejamento Federal, Julio de Vido, e de Economia, Carlos Fernández, e o responsável de Hidrocarbonetos e Energia da Bolívia, Carlos Villegas.

Acrescentou que também estarão presentes os ministros de Minas e Energia da Colômbia, Hernán Martínez; o de Energia do Chile, Marcelo Tokman; o de Minas e Petróleo do Equador, Galo Chiriboga; o primeiro-ministro da Guiana, Samuel Hinds; e o titular de Indústria, Energia e Mineração do Uruguai, Daniel Martínez.

Por parte dos outros três países que formam a Unasul, Suriname, Peru e Paraguai, assistem seus respectivos embaixadores na Venezuela.

Segundo as fontes consultadas, as conversas aconteceram a portas fechadas e suas conclusões serão divulgadas ao longo da tarde.

A Unasul, herdeira da Comunidade Sul-americana de Nações (CSN), foi instaurada em abril de 2007, na venezuelana Ilha Margarita, e fixou sua Secretaria permanente em Quito, no Equador.

Naquela ocasião também foi criado o Conselho Energético da América do Sul, integrado pelos ministros de Energia de cada um dos países-membros. EFE mm/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG