Ministros ibero-americanos estabelecem 12 metas para a educação

Lisboa, 20 abr (EFE).- Os ministros de Educação ibero-americanos decidiram hoje estabelecer 12 grandes metas para promover a questão na região ao longo da próxima década, em uma conferência realizada na capital portuguesa com a participação de 22 nações, entre elas o Brasil.

EFE |

Em suas conclusões, a reunião aprovou um compromisso para conter a crise econômica com maiores orçamentos educacionais e um esforço a favor da inovação e da ciência nos países ibero-americanos.

As chamadas Metas Educativas 2021, fixadas hoje pelos ministros, buscam elevar a qualidade do ensino no espaço ibero-americano e aumentar o percentual de população que tem acesso à formação e às condições para concluí-las nos diferentes períodos.

O secretário-geral da Organização de Estados Ibero-americanos (OEI), Álvaro Marchesi, declarou no final da conferência que, entre as metas fixadas, os destaques foram dados à educação infantil, como primeiro degrau para melhorar a formação das futuras gerações e impulsionar o desenvolvimento.

Marchesi informou que, para o desenvolvimento das metas estabelecidas, já há um Fundo de Solidariedade de 700 milhões de euros que as nações desejam aumentar nos próximos anos.

As conclusões da reunião de Lisboa serão levadas à Cúpula de chefes de Estado da região ibero-americana, que será realizada em Portugal no final de novembro.

A ministra da Educação portuguesa, María Lourdes Rodrigues, ressaltou o compromisso da conferência para avançar nas metas estabelecidas, as quais resumiu como uma decisão a favor de melhorar a educação em todos os aspectos.

Para levar a proposta à frente, a ministra destacou a importância dos fundos de cooperação estabelecidos em nível ibero-americano com o objetivo exclusivo de apoiar projetos emoldurados nas Metas 2021.

Esses objetivos podem se transformar em "fundos de coesão" como os usados na União Europeia (UE) para equilibrar o desenvolvimento dos países-membros.

Marchesi explicou que o fundo foi organizado inicialmente com contribuições de vários países, como Brasil, Espanha, Portugal e Chile, e empresas européias e latino-americanas que operam na região e desejam conseguir a cooperação da UE.

Rodrigues destacou a realização da reunião de Lisboa no marco da consolidação do espaço educacional ibero-americano, que permitirá não só coordenar e desenvolver políticas educativas, mas impulsionar a mobilidade de professores e alunos dentro desse.

Nas conclusões da conferência, os ministros ressaltaram a necessidade de impulsionar a inovação e o conhecimento e um maior aproveitamento das novas tecnologias para favorecer o desenvolvimento humano e social.

Em uma situação de crise como a atual, aproveitar esses fatores "constitui uma via ineludível para melhorar a situação de nossa região", afirma o documento, que ressalta o desafio estratégico de alcançar as metas propostas para a realização dos bicentenários das independências latino-americanas.

Os ministros, que relacionam também a educação com objetivos como o desenvolvimento sustentável ou a igualdade de oportunidades, destacam a importância de estabelecer políticas de ensino com visão estratégica e que considerem o conhecimento "como um bem público".

Os participantes do evento decidiram também reforçar a colaboração entre países e instituições para iniciar os objetivos e estabelecer indicadores sobre seu cumprimento.

Fora a promoção da educação infantil, as 12 metas estabelecidas pela conferência incluem a participação da sociedade na ação educativa, o aumento do investimento em ensino, das oportunidades de formação dos alunos e da expansão da oferta educacional.

O documento contempla também a universalização do ensino primário e médio, a melhora da formação profissional, a vinculação entre a educação e o emprego, a ampliação da oferta educativa a toda a vida das pessoas e o fortalecimento da profissão de professor.

A reunião de Lisboa é a segunda conferência ministerial que Portugal recebe, após o encontro que os ministros de Economia realizaram em março. O país ocupa a Secretaria temporária da Cúpula Ibero-Americana. EFE ecs/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG