Ministros do Noal tentarão unificar postura sobre crise global

Havana, 21 abr (EFE).- O vice-ministro das Relações Exteriores de Cuba, Abelardo Moreno, afirmou hoje que o Movimento de Países Não-Alinhados (Noal) tentará unificar posturas entre seus membros sobre a crise econômica internacional.

EFE |

Moreno disse hoje em coletiva de imprensa para anunciar a próxima reunião do Noal em Havana, entre os dias 27 e 30 de abril, que esse fórum "vai tratar de definir uma posição" de seus integrantes a respeito da crise mundial, pensando na cúpula sobre o assunto convocada pela ONU para junho próximo.

Segundo o vice-chanceler, o projeto de documento final da reunião já foi estipulado quase integralmente em Nova York, e inclui pronunciamentos em apoio ao Governo de Evo Morales, na Bolívia, e contra o bloqueio econômico que os Estados Unidos aplicam a Cuba desde 1962.

Entre os temas que serão abordados pelos países-membros desse mecanismo multilateral e que ainda não puderam ser estipulados, o funcionário cubano se referiu aos relacionados com o meio ambiente e o desarmamento.

À próxima reunião de Havana espera-se a presença delegações de mais de 120 países e 60 ministros, em sua maioria chanceleres.

Cuba assumiu a Presidência do Noal em setembro de 2006 após a Cúpula de Havana, e será substituída pelo Egito. EFE arj/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG