Santiago do Chile - Os 12 ministros da Defesa da América do Sul se reunirão pela primeira vez em Santiago entre 9 e 10 de março para criar o Conselho Sulamericano de Defesa, instância permanente da União de Nações Sul-americanas (Unasul), informou o Governo chileno.

O mecanismo de defesa, estipulado na primeira cúpula presidencial da Unasul, realizada em maio de 2008 em Brasília, estudará a transparência no gasto militar com a metodologia aplicada de forma bilateral por Chile e Argentina, assim como a cooperação militar em casos de catástrofe ou desastres naturais.

A ideia deste projeto de defesa surgiu para prevenir situações similares à incursão militar colombiana contra um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território equatoriano durante a qual morreu o número dois dessa guerrilha, "Raúl Reyes".

O Conselho não será uma aliança militar convencional como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), mas um fórum para promover o diálogo entre os ministérios de Defesa da região.

Na reunião, será elaborado um diagnóstico da indústria de defesa dos países-membros, e serão identificadas as áreas e capacidades de associação estratégica, a fim de promover a complementaridade, a pesquisa e a transferência de tecnologia.

Na agenda do encontro também está previsto o planejamento de um exercício combinado de cooperação militar em casos de catástrofe ou desastres naturais a cargo de Brasil, Peru e Argentina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.