Ministros da UE realizam reunião urgente sobre ajuda para Mianmar

Bruxelas, 12 mai (EFE).- Os ministros da União Européia (UE) responsáveis por ajuda humanitária realizarão amanhã uma reunião especial para estudarem formas de aumentar a ajuda a Mianmar após a passagem do ciclone Nargis.

EFE |

A reunião, proposta hoje pelo comissário da UE de Ajuda Humanitária e Desenvolvimento, Louis Michel, foi confirmada pela Presidência eslovena do bloco após uma série de consultas.

Michel explicou esta convocação de urgência pela "escala em massa da destruição e das necessidades" causadas pelo ciclone, e após a decisão das autoridades birmanesas de aceitarem ajuda externa, disse um comunicado.

Acrescentou que o objetivo da reunião será revisar a situação e intensificar a resposta dos países da UE e da Comissão a esta situação de emergência.

Michel afirmou que tem a intenção de viajar para Mianmar amanhã imediatamente após o final da reunião, com o intuito de se reunir com as autoridades birmanesas para discutir a melhor forma de levar a ajuda internacional para a população atingida.

"É nosso desejo sincero atuar em estreita cooperação com as autoridades birmanesas para aliviar de forma urgente o sofrimento da população birmanesa atingida pelo ciclone", declarou o comissário da UE.

O Escritório de Cooperação de Assistência Humanitária da ONU calcula que podem haver entre 63 mil e 102 mil mortos, 220 mil pessoas em paradeiro desconhecido e quase dois milhões desabrigados.

No entanto, os últimos números do Governo birmanês indicam que os mortos chegam a 28.458 e os desaparecidos a 33.416.

No domingo, Michel expressou sua satisfação pelo maior acesso que as autoridades do país asiático estão concedendo às ONGs de ajuda, mas insistiu que é necessária uma maior abertura para poder salvar centenas de milhares de vidas em perigo.

"Solicito ao Governo que permita a entrada de mais trabalhadores humanitários e lhes permita chegar à região atingida", declarou o comissário em outro comunicado, no qual afirmou que a CE está disposta a dar mais ajuda, mas que não serviria de muita coisa sem os meios para distribuí-la aos mais necessitados.

Michel afirmou que é necessária "uma operação maciça de ajuda internacional" para salvar "centenas de milhares de vidas" na região do delta do rio Irrawaddy, a área mais devastada pelo ciclone, que assolou há nove dias o sul de Mianmar. EFE rcf/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG