Ministros da Saúde árabes analisam medidas contra gripe suína

Riad, 5 mai (EFE).- Oito ministros da Saúde árabes começaram hoje uma reunião de emergência, em Riad, a fim de coordenar suas políticas para fazer frente à possível propagação da gripe suína em seus países.

EFE |

Durante a reunião, o ministro da Saúde da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdul Aziz al-Rabeeah, disse que a gripe suína representa "um desafio real, devido ao temor de que se estenda (a mais países)".

A convocação de Riad foi atendida pelos ministros da Saúde ou seus representantes da Arábia Saudita, Egito, Síria, Jordânia, Emirados Árabes Unidos (EAU), Barein, Catar e Argélia.

Rabeeah disse que os ministros já começaram a realizar grandes esforços para proteger seus Estados da epidemia, "em vista da localização geográfica do mundo árabe entre Ocidente e Oriente".

"Os cidadãos árabes esperam com otimismo esta reunião, e que as medidas adotadas pelos Estados árabes sirvam para prevenir que esta grave epidemia se estenda a nossa região", acrescentou.

Por enquanto, não apareceu nenhum caso do vírus A (H1N1) da gripe aviária em um país árabe, e os únicos casos registrados no Oriente Médio foram em Israel.

No entanto, vários países, como Jordânia, Líbano e Emirados Árabes Unidos, proibiram a importação de carne suína, e o Egito está sacrificando todas sua população de porcos, a fim de evitar a propagação da gripe suína. EFE as/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG