Tamanho do texto

Havana, 5 nov (EFE).- Vários ministros do Governo cubano afirmaram nesta quarta-feira que é preciso esperar as ações que possam ser tomadas pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, para saber se as relações entre os dois países podem melhorar.

"Penso que (a vitória de Obama) foi algo arrasador, e vamos ver quais são os resultados desse triunfo, se ele tem um bom programa. E depois disso veremos o que acontecerá nas próximas semanas, nos próximos meses", disse o vice-presidente do Conselho de Ministros, Ricardo Cabrisas.

"É preciso esperar, porque a melhora das relações com os Estados Unidos é algo que não depende de Cuba, já que foi Washington que a levou a essa situação", disse o ministro de Comércio Exterior cubano, Raúl de la Nuez.

"Parece que (Obama) é um presidente inteligente, um homem racional, e esperamos que a lógica se imponha", acrescentou.

Já a ministra para o Investimento Estrangeiro e Cooperação de Cuba, Marta Lomas, afirmou que está "contente" com o triunfo de Obama, e disse que ele ajudará a ilha se suavizar o bloqueio imposto pelos EUA.

A ministra declarou que "o povo dos Estados Unidos merece a vitória de Obama, que é um sinal da mudança necessária para esse povo e esse país".

"Se Obama adotar alguma medida para suavizar o bloqueio, ela será bem-vinda, porque certamente vai nos ajudar, mas nós estamos preparados para que as condições sigam da mesma maneira", disse.

Lomas, no entanto, ressaltou que "somente o trabalho de todos os cubanos, sob a direção do Governo e do Partido (Comunista), permitirá que Cuba siga adiante". EFE jlp/mh