Ministro reconhece pela primeira vez possíveis vítimas civis

Berlim - O ministro da Defesa da Alemanha, Franz-Josef Jung, reconheceu hoje pela primeira vez a possibilidade de haver vítimas civis no bombardeio de dois caminhões-pipa no Afeganistão ordenado por tropas alemãs na sexta-feira passada.

EFE |

No entanto está claro que "a grande maioria (dos mortos) foram talibãs", afirmou Jung em declarações à segunda maior rede da televisão pública alemã, a "ZDF", um dia após negar que entre os mortos houvesse vítimas civis.

Enquanto isso, seu escritório defendeu a política informativa praticada após o bombardeio dos dois caminhões-pipa e lamentou as críticas feitas contra a operação por outros países aliados, que considera precipitadas.

"É irritante que outros busquem a atenção pública quando contam com um nível de informação (sobre o sucedido) que não difere do nosso", disse hoje Christian Schmidt, secretário de Estado de Defesa, também em declarações à "ZDF".

Desde o bombardeio dos dois veículos na sexta-feira passada nos arredores de Kunduz, em uma operação militar que causou dezenas de mortos, Berlim manteve ao longo do fim de semana que, faltando informações precisas, não houve vítimas civis.

Schmidt fez um apelo "aos ministros de Exteriores de outros países" para esperar que a investigação oficial sobre o sucedido que realizam especialistas da Otan termine, antes de se pronunciarem, após as críticas vertidas pelos responsáveis das diplomacias da França e Suécia.

Leia mais sobre: Afeganistão

    Leia tudo sobre: afeganistãoatentadoatentados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG