Ministro polonês se dispõe a negociar presença de russo em bases antimísseis

Varsóvia, 9 abr (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores polonês, Radoslaw Sikorski, se mostrou hoje partidário de negociar com Moscou o acesso de observadores russos às bases do escudo antimísseis que os Estados Unidos pretendem colocar na Polônia.

EFE |

Essa é uma das condições exigidas pelo Kremlin para poder supervisionar o posicionamento do escudo americano.

Sikorski fez estas declarações depois do fracasso das consultas entre Polônia e Rússia mantidas até ontem em Moscou, nas quais ficou evidente que os dois países mantêm posturas opostas sobre o escudo antimísseis que os EUA planejam instalar na Polônia e na República Tcheca.

A principal divergência está na pretensão do Kremlin de contar com observadores militares permanentes em solo polonês, o que permitiria à Rússia vigiar o processo de posicionamento do sistema americano, e garantir que este não é uma ameaça para sua segurança.

Até agora, a Polônia se opõe taxativamente a essa presença permanente, mas Sikorski se mostrou hoje mais compreensivo com as demandas russas.

O ministro reconheceu na rádio pública polonesa que o Tratado de Armas Convencionais na Europa (Face), que Moscou abandonou recentemente, incluía uma possibilidade similar para garantir a inspeção de bases militares russas.

Os Estados Unidos e a Rússia concordaram em que os tchecos e os poloneses ficarão responsáveis por determinar o regime de acesso dos observadores russos às bases de mísseis dos EUA em seus países. EFE nt/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG