Ministro nega ter usado emissários europeus para desviar atenção das Farc

Paris, 7 jul (EFE).- O ministro de Defesa colombiano, Juan Manuel Santos, nega que os contatos dos dois emissários europeus com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) fossem utilizados para desviar a atenção na operação Xeque para a libertação de 15 reféns da guerrilha na semana passada.

EFE |

Segundo explica Santos, em entrevista publicada hoje pelo diário "Le Figaro", foi uma "coincidência afortunada" que a missão franco-suíça chegasse na quinta-feira anterior "e que tivesse autorização para entrar em contato com as Farc".

"Isto permitiu que os membros das Farc que detinham os reféns não se surpreendessem com a operação que tínhamos organizado", acrescentou o ministro colombiano.

Os dois emissários, o francês Noel Saez e o suíço Jean-Pierre Gontard, se reuniram em 28 de junho com um representante do novo chefe da Farc, Alfonso Cano, na selva colombiana.

Os emissários lhe entregaram uma mensagem com propostas para um eventual acordo para a libertação de reféns.

Segundo fontes francesas, o representante de Cano disse que responderia mais adiante, fazendo com que os emissários abandonassem a selva e retornassem a Bogotá, antes de seguir viagem de volta à Europa.

Em 2 de julho, foi realizada a operação de infiltração "Xeque", montada contra as Farc pelo Exército colombiano e que permitiu a libertação de 15 reféns da guerrilha, incluindo a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt. EFE al/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG