Ministro italiano defende que médicos delatem imigrantes ilegais

Roma, 9 fev (EFE).- O ministro de Interior italiano e expoente da ultradireitista Liga Norte, Roberto Maroni, defendeu hoje a medida que permitirá aos médicos e enfermeiros denunciar os imigrantes ilegais os quais socorrerem.

EFE |

Em entrevista por rádio à "RAI", Maroni acrescentou que achava uma "aberração" apenas que os médicos que denunciassem os imigrantes ilegais fossem punidos.

Em 5 fevereiro, o Senado italiano aprovou uma emenda proposta pelo partido Liga Norte -que pertence à coalizão governamental- que anulava uma anterior na qual se proibia aos médicos delatar os imigrantes ilegais os quais tinham ajudado.

A medida, incluída em um projeto de lei sobre segurança, tem que ser aprovada agora pela Câmara dos Deputados para que entre em vigor.

"Não introduzimos uma obrigação de denúncia por parte dos médicos, simplesmente eliminamos a proibição de denunciar", afirmou o titular de Interior.

Maroni acrescentou que "o que não é justo é punir o médico que, por exemplo, quer denunciar à Polícia um clandestino que ficou ferido na tentativa de violentar uma menina".

Ele acrescentou que em todos os países da Europa os médicos têm a possibilidade de denunciar os imigrantes ilegais, e que em países como a Alemanha são, inclusive, obrigados a fazê-lo. EFE ccg/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG