Ministro israelense propõe túnel Gaza-Cisjordânia

JERUSALÉM - O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, propôs na segunda-feira, durante um ato eleitoral, que os territórios palestinos sejam unidos com um túnel ligando a Cisjordânia à Faixa de Gaza, sob território de Israel. A ideia já havia sido cogitada no passado, mas foi abandonada junto o processo de paz entre judeus e palestinos.

Reuters |


A ofensiva militar israelense de dezembro e janeiro contra a Faixa de Gaza estimulou a popularidade de Barak, candidato a primeiro-ministro na eleição do dia 10 pelo Partido Trabalhista, de centro-esquerda. As pesquisas apontam o favoritismo do ex-premiê direitista Benjamin Netanyahu, seguido pela atual chanceler, Tzipi Livni.

Em discurso a estudantes no sul de Israel, Barak disse que, se eleito, vai lutar por uma solução que garanta a convivência pacífica de Israel com um Estado palestino.

Questionado sobre se Gaza poderia ser parte de um Estado palestino, Barak respondeu que as regiões poderiam ter uma ligação subterrânea.

"A forma preferida para isso seria cavar um túnel que estaria sob soberania israelense, mas totalmente livre e desimpedido para o uso pelos palestinos", disse o ministro.

Segundo ele, uma das rotas mais curtas, com cerca de 48 quilômetros, seria entre Beit Hanoun (Gaza) e Dura, perto de Hebron (Cisjordânia). Cerca de 1,5 milhão de palestinos vivem na Faixa de Gaza, e outros 3 milhões na Cisjordânia.

Leia também:

Leia mais sobre Faixa de Gaza

    Leia tudo sobre: gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG