Ministro israelense e Estado palestino dominam pauta de conselho da UE

Bruxelas, 21 fev (EFE).- A presença em Bruxelas do ministro de Assuntos Exteriores israelense, Avigdor Liberman, e a ideia de reconhecer um Estado palestino antes de definir suas fronteiras com Israel serão amanhã os principais assuntos do Conselho de Ministros de Assuntos Exteriores da União Europeia (UE).

EFE |

Lieberman não se reunirá com o Conselho, mas sim com ministros da UE e com a alta representante do bloco, Catherine Ashton, justo quando o uso de passaportes de quatro países comunitários no assassinato em Dubai do dirigente do Hamas Mahmoud al Mabhuh - supostamente pelas mãos do Mossad israelense - atrapalhou as relações entre Israel e Europa.

Apesar de Israel não querer falar oficialmente sobre o assunto, as reuniões de Lieberman terão a sombra do uso de passaportes europeus no assassinato de Mabhuh, ocorrido em janeiro, o que criou mal-estar em vários países europeus, especialmente no Reino Unido, cujo ministro de Assuntos Exteriores, David Miliband, será um dos que encontrará com o titular israelense.

Segundo o Ministério de Assuntos Exteriores israelense, a agenda oficial de Lieberman inclui questões sobre o conflito do Oriente Médio e como prevenir que o Irã chegue a uma arma nuclear.

A possibilidade do reconhecimento de um Estado palestino antes da definição de suas fronteiras com Israel certamente entrará em discussão com a UE depois que o ministro de Assuntos Exteriores francês, Bernard Kouchner, ter apoiado a ideia em entrevista divulgada neste sábado pela imprensa de seu país.

Kouchner, que não estará amanhã em Bruxelas, se mostrou favorável à "rápida proclamação de um Estado palestino e seu reconhecimento imediato pela comunidade internacional, antes inclusive da negociação das fronteiras".

Em Israel, fontes diplomáticas israelenses disseram hoje à Agência Efe que o ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, e Kouchner promovem o reconhecimento de um hipotético Estado palestino dentro de 18 meses, embora suas fronteiras com Israel não estejam definidas.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, estará em Bruxelas na terça-feira e na quarta-feira para promover seu plano de reconhecimento, lançado há meses, mas rejeitado por Israel.

Abbas, que faz uma viagem por países europeus em busca de apoio à proposta, se reunirá na terça-feira com o primeiro-ministro belga, Yves Leterme, e na quarta-feira com o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

Os responsáveis da UE e o próprio Moratinos creem na retomada das conversas de paz entre israelenses e palestinos, suspensas há mais de um ano.

O conflito no Oriente Médio deixou em segundo plano a agenda do Conselho de Ministros comunitário, que inclui, entre outros assuntos, o programa nuclear iraniano, o apoio europeu à reconstrução do Haiti e a nomeação de um novo representante da UE no Afeganistão. EFE rcf/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG