Ministro israelense afirma que judeus e árabes não deveriam conviver

Judeus e árabes não deveriam conviver, afirmou o ministro israelense da Habitação, Ariel Attias, em uma declaração divulgada nesta sexta-feira pelo jornal Jerusalem Post.

AFP |

"Penso que judeus e árabes deveriam abrir mão de conviver", declarou Attias na quinta-feira à noite em Tel Aviv na associação de juristas israelenses, segundo o jornal em inglês.

"Os árabes não têm onde viver e, então, compram apartamentos em bairros de caráter judaico, o que provoca disputas inevitáveis", explicou o ministro do partido religioso ortodoxo sefaradita Shass.

O ministro lamentou ainda "o auge de uma população que não quer o Estado de Israel, no mínimo que se pode dizer", em uma clara referência à comunidade árabe de Israel.

Israel tem 1,2 milhão de cidadãos árabes, de uma população total de 7,3 milhões de pessoas.

"Este ministro, cujo governo deveria se ocupar de distribuir mais justamente os recursos, beira a incitação ao racismo quando apresenta os cidadãos árabes como uma ameaça que vem de fora", criticou o deputado árabe israelense Ahmed Tibi no Jerusalem Post.

Leia mais sobre: judeus - árabes

    Leia tudo sobre: judeuárabes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG