Bagdá, 5 nov (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores iraquiano, Hoshiar Zebari, parabenizou hoje a vitória de Barack Obama nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, mas afirmou que seu país não espera grandes variações na política americana no Iraque.

"O Governo iraquiano, que dá as boas-vindas e respeita a eleição do povo americano, não espera uma grande mudança na política dos EUA no Iraque, nem que essa mudança aconteça da noite para o dia", disse Zebari à imprensa local.

A situação no Iraque, onde os EUA possuem uma forte presença militar desde que invadiram o país em março de 2003, é um dos maiores desafios na política externa para o futuro presidente.

Durante a campanha, Obama se comprometeu a retirar as tropas do Iraque em um prazo de 10 meses a partir de sua confirmação no cargo.

Zebari lembrou hoje que Obama assegurou aos responsáveis iraquianos durante sua visita às tropas no Iraque que "não aceleraria a retirada das forças americanas caso chegasse à Presidência dos EUA".

O novo presidente terá de estudar a situação no Iraque e negociar com as autoridades locais e de seu país, disse o chefe da diplomacia iraquiana.

A política externa americana é fruto do trabalho de várias instituições e de uma estratégia marcada, precisou Zebari, antes de afirmar que existe "a oportunidade de fundar uma bem-sucedida sociedade com a Administração americana".

O responsável iraquiano se referiu também à chegada de Joe Biden à Vice-Presidência do país, o que poderia fortalecer a idéia do senador por Delaware sobre um Iraque dividido em três territórios (curdo, sunita e xiita).

A idéia da divisão do Iraque não está sobre a mesa, afirmou Zebari. EFE ah/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.