Washington, 18 jun (EFE) - O ministro de Assuntos Exteriores iraquiano, Hoshyar Zebari, disse hoje que as perspectivas de um novo acordo de segurança com os Estados Unidos melhoraram, pois Washington flexibilizou os termos do mesmo. O alto funcionário iraquiano se reuniu hoje com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, para tratar sobre o acordo que os dois países negociam para um possível prolongamento da estadia das tropas dos EUA no Iraque, quando, no final de 2008, acabar a missão internacional supervisionada pela ONU. A data limite para assinar este pacto, que inclui acordos legais e militares, é 31 de julho, mas as divergências em torno dos termos do mesmo estão fazendo com que a fase prévia se estenda. O Iraque busca um papel maior no acordo e os Estados Unidos foram criticados por alguns setores que consideram que o que espera é carta branca para permanecer no país. Acordamos que o pacto deve ser transparente e não um segredo, disse Zebari após se reunir com Rice, que não fez declarações. O ministro afirmou que, nesta ocasião, notou que há mais flexibilidade por parte dos Estados Unidos para chegar a um acordo que seja aceitável tanto por Washington quanto para eles. Por sua parte, Tom Casey, um porta-voz do Departamento de Estado americano, coincidiu com Zebari em que para chegar a um acordo é necessário flexibilidade de ambas as partes. Casey rejeitou que, com este acordo, os Estados Unidos busquem estabelecer bases pe...

"Não devemos prometer novos compromissos em um prazo, sem uma compreensão clara de cada uma das partes sobre o que isso significa", disse hoje um membro do Comitê de Relações Exteriores.

Por sua parte, o presidente do Comitê de Serviços Armados, Ike Skelton, enviou hoje uma carta a Bush em referência a este acordo, na qual expressa sua preocupação com se esta aliança "poderia pôr em perigo as tropas americanas, especialmente se as operações militares dos EUA estivessem submissas à aprovação iraquiana". EFE elv/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.