Ministro iraniano acusa CIA de envolvimento em protestos

Teerã, 24 jun (EFE).- O ministro do Interior iraniano, Sadeq Mahsuli, ligou hoje a CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos, e o grupo opositor armado Mujahedin Khalq (Combatentes do Povo) aos distúrbios ocorridos no Irã após as eleições presidenciais do último dia 12.

EFE |

Segundo o ministro, países como EUA, Reino Unido e Israel estão por trás dos protestos da oposição, que denunciou uma fraude eleitoral em favor da reeleição do atual presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

"Reino Unido, EUA e o regime sionista não quiseram aceitar a verdade. As organizações terroristas que recebem apoio do exterior também participaram", disse Mahsuli, citado pela agência oficial de notícias "Fars".

"Muitos dos causadores dos distúrbios têm conexão com os EUA, a CIA e os Mujahedin Khalq, e são financiados por eles", acrescentou o ministro.

O Ministério de Inteligência iraniana anunciou no domingo a detenção de "vários" membros do citado grupo opositor por sua suposta participação nos distúrbios do dia anterior, nos quais pelo menos 13 pessoas morreram, segundo números oficiais.

A Mujahedin Khalq é uma organização de caráter marxista fundada na década de 60, considerada terrorista pelo Governo iraniano.

Nos anos 80, após o triunfo da Revolução Islâmica, o movimento se refugiou no Iraque, de onde atacaram o território iraniano. EFE jm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG