velocidade de resposta de forças de segurança - Mundo - iG" /

Ministro indiano pede melhor velocidade de resposta de forças de segurança

Nova Délhi, 6 jan (EFE).- O ministro do Interior da Índia, P.

EFE |

Chidambaram, destacou hoje em uma reunião com líderes regionais e policiais a necessidade de melhorar a "velocidade de resposta" das forças de segurança para combater o terrorismo.

"Após 36 dias no cargo, estou mais convencido que nunca de que temos que nos fixar em dois objetivos: aumentar o nível de preparação para enfrentar a crescente sofisticação das ameaças terroristas e aumentar a velocidade de resposta", declarou o ministro.

Chidambaram afirmou isto durante uma conferência sobre segurança nacional na qual também estiveram presentes o primeiro-ministro, Manmohan Singh, e representantes das forças de segurança indianas, assim como os líderes dos Governos regionais, diz um comunicado oficial.

"O terrorismo era e é o assunto mais importante na mente dos cidadãos. Mumbai foi o ponto de inflexão", declarou Chidambaram em alusão aos ataques do dia 26 de novembro na capital financeira da Índia, episódio nos quais morreram 179 pessoas.

Segundo o ministro, uma das "chaves" na luta contra o terrorismo é que os diferentes centros de inteligência, tanto regionais como de caráter estatal, compartilhem sua informação.

Além disso, Chidambaram pediu uma ação "coordenada" das forças de segurança na qual não haja "ambigüidade ou confusão" sobre quem está a cargo das operações, quem tem autoridade sobre as diferentes forças ou quem deve mobilizar forças em cada situação.

"Nossa resposta ao terrorismo não pode ser reativa. Há provas de que muitas células terroristas se refugiaram no país e também de que há células adormecidas. Temos que adotar uma aproximação pró-ativa", raciocinou o ministro.

Além disso, destacou a importância de contar com agentes policiais especialmente treinados para ações de combate ao terrorismo e de equipamento adequado, e anunciou a abertura de quatro centros das forças de elite em diferentes partes do país. EFE mb/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG