Ministro indiano encerra greve de fome pró-tâmil

(atualiza com fim da greve de fome). Nova Délhi, 27 abr (EFE).- O octogenário ministro-chefe do estado indiano de Tamil Nadu (sul), uma região de 62 milhões de pessoas que compartilha laços com os tâmeis do Sri Lanka, encerrou hoje sua greve de fome pública contra o conflito nesse país após o anúncio do Governo cingalês de que respeitará os civis.

EFE |

M. Karunanidhi, de 85 anos, bebeu suco para simbolizar o fim de seu protesto, poucas horas após iniciado, depois de o Governo cingalês anunciar que limitará suas operações de combate contra a guerrilha tâmil ao resgate de civis, informou a agência indiana "Ians".

O político tinha amanhecido deitado em uma cama e cercado por aparelhos de ar-condicionado no memorial do fundador de seu partido, C. N. Annaduraien, diante da presença de dezenas de policiais e centenas de seguidores atentos ao líder, que dirige a legenda Dravida Munnetra Kazhagam (DMK).

"Decidi oferecer minha vida pelo crescente número de vidas perdidas devido aos contínuos atos cruéis do regime cingalês contra a minoria étnica tâmil no Sri Lanka", afirmou o ministro-chefe regional, que dirige a legenda Dravida Munnetra Kazhagam (DMK), segundo a agência "Ians".

Tamil Nadu é uma região do sul da Índia cujos moradores dividem fortes relações afetivas e uma cultura comum com a minoria tâmil do Sri Lanka.

A guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) luta há décadas para obter um Estado independente no norte e leste do Sri Lanka, áreas onde a etnia tâmil tem maior presença.

Encurralada pelo Exército após uma ofensiva de meses, a guerrilha declarou ontem um cessar-fogo unilateral que foi, no entanto, rejeitado pelo Governo, para o qual o anúncio é só uma tentativa para ganhar tempo.

"Depois da oferta da trégua unilateral, permaneci acordado por toda a noite atento à televisão e ao rádio para escutar boas notícias. Como isso não ocorreu, decidi tomar esta medida de parte de todos os tâmeis do mundo", disse.

A iniciativa despertou a preocupação do primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, que ligou ao governante e lhe informou que o Governo está fazendo o possível para que o Sri Lanka ponha fim a sua ofensiva e declare um cessar-fogo, segundo uma fonte do DMK. EFE sp/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG