Ministro indiano diz que trens sofreram sabotagem

Pelo menos 65 pessoas morrem na colisão de trens na manhã desta sexta-feira no leste da Índia

EFE |

O ministro indiano de Interior, Palaniappan Chidambaram, afirmou que o descarrilamento de parte de um trem e o posterior choque com outro aconteceu devido uma aparente sabotagem, segundo comunicado divulgado nesta sexta-feira. "Parece ser um caso de sabotagem. Uma parte das vias do trem foi retirada. Se foram usados explosivos ou não, ainda não está claro", afirmou Chidambaram.

AP
Colisão de trens deixa ao menos 65 mortos na Índia

De acordo com o ministro, a Força Nacional de Resposta aos Desastres enviou quatro equipes para apoiar as autoridades ferroviárias nas operações de ajuda após o acidente, ocorrido no distrito de West Midnapore, no estado oriental de Bengala.

Horas antes, a ministra de Ferrovias, Mamata Banerjee, tinha anunciado uma investigação após o incidente, que causou a morte de pelo menos 65 pessoas e deixou cerca de 200 feridas, e disse que o choque aconteceu devido a uma bomba colocada na linha férrea por supostos maoístas. "É um caso de explosão de uma bomba. Após a explosão, o trem descarrilou e ocorreu o acidente. De acordo com informação dada pela Força de Polícia de Ferrovias e oficiais, encontramos dinamite no lugar", afirmou.

Segundo sua versão, citada pela agência indiana "PTI", a suposta explosão e o horário e a forma de realização do atentado apontam para uma autoria maoísta, mas a ministra prefere esperar o fim das operações de resgate antes de buscar conclusões. A hipótese da bomba, no entanto, contrasta com a versão do inspetor geral de polícia, Surojit Karpurokayastha, que afirmou que algumas barras de metal da ferrovia tinham sido retiradas da via antes da chegada do trem.

A locomotiva e treze vagões da composição, que ia para Mumbai, descarrilaram à 1h30 pelo horário local (17h de quinta-feira em Brasília), e vários vagões foram atingidos por um trem de carga que vinha em sentido contrário. "As ferrovias são alvos fáceis. Estamos perdendo vidas de inocentes", lamentou Banerjee.

Ataques

Os rebeldes maoístas da região vêm intensificando seus ataques nos últimos meses, em resposta a uma ofensiva do governo para expulsá-los de suas bases nas selvas.

Eles já realizaram ataques a bases da polícia, a prédios do governo e a estações de trem.
No início do mês, um ataque da guerrilha explodiu um ônibus no Estado de Chhattisgarh, provocando a morte de 35 pessoas.

O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, descreveu as ações da guerrilha como a maior ameaça interna de segurança do país.

* Com BBC Brasil e EFE

    Leia tudo sobre: índiaacidentetrem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG