O ministro de Relações Exteriores francês, Bernard Kouchner, visitará a partir da próxima segunda-feira a Colômbia, o Equador e a Venezuela para conversar sobre um acordo humanitário para libertar reféns em poder das Forças Revolucionárias da Colômbia (Farc), especialmente, a franco-colombiana Ingrid Betancourt.

Kouchner se reunirá na segunda-feira em Bogotá com o presidente colombiano Alvaro Uribe; na terça-feira com o presidente equatoriano, Rafael Correa, em Quito, e no dia seguinte encerrará as negociações com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, informou o governo francês.

"O ministro, que se reuniu com os presidentes Chávez e Uribe em fevereiro, vai reavaliar a situação dos reféns com os três chefes de Estado e exigirá urgência para uma solução humanitária que leve à libertação dos sequestrados pelas Farc na Colômbia, entre eles Ingrid Betancourt", explicou o comunicado do ministério.

Em entrevista a uma rádio local, Uribe confirmou seu encontro com o ministro francês, mas insistiu que Chávez não deve mediar a libertação dos reféns.

"As únicas instâncias que temos hoje na Colômbia para negociar com as Farc são a Igreja Católica e os delegados europeus" da França, Espanha e Suíça, declarou.

Na última quinta-feira, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediu publicamente a Hugo Chávez que "continue comprometido" na busca por um acordo com as Farc para obter a libertação de Betancourt, capturada pela guerrilha há mais de seis anos.

As Forças Revolucionárias da Colômbia propõem que o governo liberte 500 rebeldes em troca de um grupo de seqüestrados, incluindo Betancourt, três americanos, três políticos e dezenas de militares e policiais colombianos.

A visita de Kouchner também servirá, segundo o ministério de Relações Exteriores francês, para tratar da "cooperação, especialmente econômica", entre a França e esses três países, e das relações entre a América Latina e a União Européia, que a França presidirá a partir de julho.

bur/cl/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.