Ministro espanhol considera que Afeganistão pode precisar de mais soldados

Valência (Espanha), 15 nov (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, considerou hoje que talvez seja necessário fazer um novo esforço militar no Afeganistão, mas insistiu em que a Espanha não contribuirá com isso, porque já pagou um preço alto em vidas humanas.

EFE |

Moratinos fez esta declaração na cidade espanhola de Valência, onde participou da 54ª Assembléia Parlamentar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Nesse fórum, o chefe da diplomacia espanhola pronunciou uma conferência sobre a segurança no norte da África.

O ministro espanhol disse que "é necessário que haja Forças Armadas, é necessário talvez fazer um novo esforço militar, mas, na Aliança, somos um número grande de países, cada um pode contribuir de uma maneira séria, e acho que nosso país pagou já um preço alto em vidas humanas".

No domingo passado, dois soldados espanhóis morreram no Afeganistão, perto da base de Herat, quando uma caminhonete com grande quantidade de explosivos e dirigida por um suicida foi lançada contra um veículo blindado espanhol.

Moratinos reiterou hoje que o Governo "não contempla aumentar seu contingente militar no Afeganistão, e dizemos isso sem nenhum tipo de complexo nem sensação de não contribuir de forma significativa e substancial ao futuro do Afeganistão".

"Para o sucesso de nossa missão no Afeganistão, não basta com a lógica militar ou o progressivo esforço da Aliança, mas devemos manter um enfoque global, que inclua a dimensão da cooperação, e otimizar as sinergias dos atores internacionais", disse. EFE cra/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG