Ministro equatoriano critica declarações de Amorim sobre caso Odebrecht

Quito, 10 dez (EFE) - O ministro coordenador de Segurança Interna e Externa do Equador, Gustavo Larrea, lamentou hoje as declarações do chanceler Celso Amorim sobre a decisão de Quito de levar a uma arbitragem internacional um empréstimo concedido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Acho que Celso (Amorim) se engana, o Equador quer ir a uma arbitragem com pleno direito, afirmou Larrea. Ele lembrou que a Petrobras levou também o Equador a uma arbitragem e que o país não fez qualquer protesto diplomático nem usou uma divergência em matéria econômica como um fato político. Larrea respondeu assim a declarações de Amorim na Comissão de Relações Exteriores do Senado, nas quais disse que o Equador deu um tiro no próprio pé com a decisão de recorrer a essa arbitragem e pode ter fechado as portas a futuros financiamentos do Brasil. Lamento que o chanceler do Brasil tenha esse tipo de expressões. Nosso Estado é soberano e tem todo o direito de ir a arbitragens quando considerar que um contrato afeta seu interesse nacional, afirmou Larrea à televisão local Teleamazonas. O Governo do Equador recorreu à justiça internacional para tentar não pagar um empréstimo de US$ 242,9 milhões contraído com o BNDES. O Equador alega que o empréstimo foi concedido para as obras de uma represa erguida pela construtora Odebrecht e que deixou de funcionar meses após ter entrado em operações. O assunto, que gerou tensões diplomáticas, ...

EFE |

EFE sm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG