Ministro egípcio confirma que turistas seqüestrados estão no Sudão

Cairo, 22 set (EFE).- O ministro do Turismo egípcio, Zoheir Garana, confirmou hoje que o grupo de onze turistas europeus e seus acompanhantes egípcios permanecem seqüestrados por seus seqüestradores em território sudanês, e não no Egito.

EFE |

"Com certeza não estão em território egípcio. Os contatos (que foram mantidos com os seqüestradores) confirmam que permanecem em zona sudanesa", disse o ministro do Turismo, em declarações à rede de televisão catariana "Al Jazira".

Além disso, afirmou que a esposa do proprietário da agência de viagens que organizou a viagem dos reféns é a que mantém os contatos com os seqüestradores.

Além disso, Garana afirmou que "a zona onde foram tomados como reféns é uma área desértica, que às vezes é visitada por turistas".

Também revelou que os seqüestradores pediram o resgate em troca da libertação dos turistas à Embaixada da Alemanha no Cairo.

O ministro descartou que o fato esteja vinculado ao terrorismo já que é "uma ação criminosa, própria de grupos que exigem o pagamento de um resgate em troca da libertação de pessoas". EFE aj/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG