(corrige título). Bogotá, 9 jan (EFE).- A Procuradoria Geral da Colômbia formulou hoje acusações contra o ministro da Proteção Social, Diego Palacio, e o ex-ministro do Interior e atual embaixador na Itália, Sabas Pretelt, por supostas irregularidades na aprovação no Congresso da reeleição do presidente Álvaro Uribe.

As acusações são por "possíveis irregularidades disciplinares", dentro de um escândalo gerado em abril de 2008, após declarações da ex-deputada Yidis Medina, que admitiu ter recebido propostas de incentivos para votar a favor da reforma constitucional.

A Procuradoria considera que o ministro Palacio pode ter "violado a reserva processual ao revelar peças (...) no processo (...) e por se negar a fornecer informação requerida".

Palacio, segundo a Procuradoria, "amparado em sua condição de sujeito processual solicitou e obteve cópias da versão livre dada pela ex-congressista Yidis Medina, em outro processo também coberto com reserva, cópias que posteriormente e de maneira pessoal deu à imprensa". EFE rrm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.