Cerca de 4 mil funcionários públicos de uma região no Nepal entraram em greve depois que um ministro prendeu uma autoridade local no banheiro.

Dandu Raj Ghimire, responsável pelo Desenvolvimento Local no distrito de Lalitpur, no vale de Katmandu, ficou uma hora e meia trancado no banheiro na terça-feira, por idéia do ministro da Conservação das Florestas e do Solo, Matrika Yadav, do Partido Maoista.

O ministro acusa Ghimire de descumprir uma proibição à atividade mineradora na área de Devichaur, no vale.

Segundo o ministro, Ghimire permitiu a exploração ilegal dos recursos apesar de várias ordens de proibição.

Para os funcionários públicos em greve, a prisão da autoridade local no banheiro foi um ato "desumano e censurável".

"É vergonhoso que um ministro tenha tratado uma autoridade de governo desta maneira tão censurável", afirmou um porta-voz da Organização dos Empregados Locais. "Ele deve pedir desculpas pela má conduta".

A organização convocou uma greve nacional em protesto à ação do ministro.

Outro ministro do Partido Maoista, Dev Gurung, afirmou que o partido já pediu que Yadav se desculpe por ter adotado um método errado, ainda que por boa causa.

O ministro Yadav respondeu às críticas afirmando que ensinou Ghimire uma lição: agora, segundo ele, o funcionário sabe como é viver em um "ambiente imundo".

Correspondentes afirmam que o protesto local não teve grande impacto no cotidiano do governo do país.

Leia mais sobre Nepal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.