Caracas, 9 abr (EFE).- O Governo da Venezuela confirmou hoje que prendeu oito colombianos suspeitos de espionagem no final de março e que nas últimas horas recolheu indícios mais graves sobre um plano de atentado contra a infraestrutura nacional.

"São indícios ainda mais graves dos que já tínhamos" e que permitiram inicialmente a prisão destes colombianos. Há "indícios muito graves" sobre um plano "contra a segurança do povo venezuelano", disse o ministro do Interior, Tareck El Aissami.

O ministro não deu mais detalhes, mas insistiu que se tratam de informações de um ataque "a infraestrutura elétrica, viária e de serviços públicos", no que constitui "um fato bastante grave que afeta à segurança" nacional.

Aissami não falou diretamente de Bogotá que afirma que o país mantém 20 colombianos detidos.

O ministro afirmou que o presidente Húgo Chávez, que disse que entre os presos haviam "computadores, muitas fotografias, códigos secretos e semi-secretos, atividades estranhas" passou informações "da maneira transparente e objetiva".

Ele também falou da resposta que o Governo da Colômbia deu ao caso, e disse que se apresentar como "vítima" e manifestar preocupação pela situação dos colombianos que residem na Venezuela foi uma "posição inaceitável".

Aissami assinalou que isso constitui uma "infâmia da burguesia mundial" que gosta de jogar sombras sobre o respeito aos direitos humanos na Venezuela. "Nunca na história deste país existiu um Governo que respeitou os direitos humanos como o do presidente Chávez", disse, e ressaltou que na Venezuela "há plenas garantias constitucionais". EFE ar/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.