LONDRES (Reuters) - O comércio com a Líbia teve uma parte muito importante na decisão britânica de incluir o condenado pelo atentado de Lockerbie em um acordo de transferência de prisioneiro entre os dois países, afirmou a um jornal um destacado ministro da Grã-Bretanha. Em uma entrevista ao jornal Daily Telegraph, o secretário da Justiça, Jack Straw, afirmou que sua decisão ajudou a melhorar as relações e pavimentou o caminho para um contrato petrolífero assinado pela gigante britânica BP.

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, destacou repetidamente que o comércio não influenciou a postura de Londres na recente libertação do líbio Abdel Basset al-Megrahi, uma medida que enfureceu o governo dos Estados Unidos.

Al-Megrahi, 57, foi libertado de uma prisão escocesa no mês passado sob alegação de que tinha câncer de próstata e de que não teria muito tempo de vida.

Ele foi o único condenado pelo atentado contra o voo 103 da Pan Am, que explodiu enquanto sobrevoava a cidade escocesa de Lockerbie, matando 270 pessoas. Ele teve uma recepção calorosa quando voltou à Líbia no mês passado.

Questionado se o comércio foi um fator decisivo em sua decisão de incluir al-Megrahi em um pacto de troca de prisioneiros com a Líbia, Straw disse ao jornal que "sim (...) em grande parte. Não me arrependo. E sim, isso incluiu o comércio porque o comercio é uma parte essencial e, posteriormente, havia o acordo da BP."

(Reportagem de Peter Griffiths)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.