Ministro das Finanças japonês renunciará após críticas por suposta embriaguez

Tóquio, 17 fev (EFE).- O ministro das Finanças japonês, Shoichi Nakagawa, anunciou hoje que renunciará de seu cargo após ter sido criticado por seu comportamento na entrevista coletiva posterior à reunião do Grupo dos Sete (G-7) em Roma, na qual parecia estar bêbado.

EFE |

Nakagawa, que deixará seu cargo depois que for aprovado no Parlamento japonês o orçamento para o ano fiscal 2009 que começa em abril, disse que seu estado durante a entrevista coletiva do G7 no sábado passado se devia à influência dos remédios para o resfriado e à mudança de fuso horário ("jet lag").

No entanto, grandes correligionários de seu partido, entre eles o ex-primeiro-ministro Yoshiro Mori, o censuraram ontem abertamente por seu vício em álcool e as cadeias de televisão não deixaram desde então de emitir as imagens.

Nelas, pode-se ver o ministro visivelmente cansado, com dificuldades para articular as palavras, meio dormindo e com o cabelo bagunçado. Em um dado momento, mistutou o nível atual das taxas de juros no Japão com a dos Estados Unidos.

Nakagawa, que foi também criticado por membros de seu próprio partido, disse que se apresentou para uma revisão médica após sua viagem e que sofre de "fadiga e resfriado", embora tenha reconhecido que bebeu vinho em um almoço durante sua participação na reunião de Roma.

O ministro pediu perdão pelos problemas que possa causar ao primeiro-ministro, Taro Aso, e explicou que decidiu apresentar sua demissão após escutar as opiniões de seus companheiros. EFE jmr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG