Ministro da Itália diz que não quer presos de Guantánamo

Roma, 12 fev (EFE).- O Ministro do Interior italiano, Roberto Maroni, disse que não quer em seu país presos de Guantánamo, uma possibilidade que vários Governos europeus estudam após a decisão do presidente americano, Barack Obama, de fechar o centro de detenção.

EFE |

"Não quero os presos de Guantánamo. Os Estados Unidos são grandes, podem levá-los para outro lugar", comenta Maroni em entrevista que será publicada amanhã pela revista italiana "Panorama".

Os países-membros da União Europeia (UE) ainda não fecharam uma posição comum sobre a possível chegada de presos de Guantánamo.

Já o ministro de Assuntos Exteriores italiano, Franco Frattini, afirmou em 22 de janeiro que a decisão de Obama de fechar Guantánamo significará "um problema também para os europeus". EFE mcs/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG