Ministro da Economia e chefe de gabinete renunciam na Argentina

BUENOS AIRES - O ministro da Economia argentino, Carlos Fernández, e o chefe de gabinete Sergio Massa apresentaram hoje sua renúncia à presidente Cristina Fernández.

EFE |

As demissões se somam às de outros dois funcionários que deixaram seus cargos após a derrota do Governo nas recém-disputadas eleições legislativas.

Segundo fontes oficiais, a renúncia do ministro da Economia e a do chefe de gabinete são as mais importantes dentro da ampla reforma que está em curso no Governo de Cristina.

Sergio Massa, que assumiu em julho e voltará a comandar a Prefeitura de Tigre, na província de Buenos Aires, será substituído por Aníbal Fernández, que até hoje era ministro da Justiça.

Já Carlos Fernández repassará o cargo a Amado Boudou, titular da Anses (Administração Nacional de Seguridade Social).

Fernández tinha assumido como ministro da Economia em abril de 2008, em substituição ao jovem Martín Lousteau, que abandonara o cargo em meio a uma grave envolvendo o setor agropecuário.

Com as mudanças no gabinete, o novo ministro da Justiça será Julio Alac, que estava à frente da Aerolíneas Argentinas. Por sua vez, Diego Bossio assumirá a chefia da Anses, e Jorge Coscia assumirá como novo secretário da Cultura.

Depois da derrota do Governo nas eleições legislativas de 28 de junho, Cristina disse que não tinha razões para mudar sua equipe de colaboradores. Porém, dias depois, o Governo perdeu Graciela Ocaña, então ministra da Saúde, e o polêmico Ricardo Jaime, que era secretário de Transportes.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG