Buenos Aires, 24 abr (EFE).- O ministro da Economia da Argentina, Martín Lousteau, apresentou sua renúncia ao Governo, informaram hoje à Agência Efe fontes oficiais.

Lousteau apresentou sua renúncia ontem à noite ao chefe do gabinete de ministros, Alberto Fernández, disseram porta-vozes do Ministério da Economia sem fazer mais comentários.

Outras fontes do Governo confirmaram à Efe que a renúncia de Lousteau foi aceita pela presidente argentina, Cristina Fernández, que designou Carlos Fernández para o Ministério da Economia.

A governante está reunida com seus colaboradores na residência presidencial de Olivos, nos arredores de Buenos Aires, indicaram seus porta-vozes.

Carlos Fernández é um economista do governante Partido Justicialista (peronista). Ele estava à frente de Administração Federal de Ingressos Públicos (Afip, equivalente à Receita Federal).

As fontes consultadas pela Efe indicaram que Lousteau renunciou depois que Cristina rejeitou uma proposta sua para frear a inflação que incluía medidas para "esfriar" a economia argentina, que desde 2003 cresce a uma taxa superior a 8% ao ano em média, depois da forte recessão sofrida entre 1998 e 2002.

O Governo de Cristina, que assumiu no dia 10 de dezembro do ano passado, nega que o país sofra uma alta da inflação, como alertam consultores e economistas, num momento em que as estatísticas oficiais geram dúvidas.

Martín Loustau, de 36 anos, um dos mais jovens ministros da Economia da história da Argentina, reconheceu na terça-feira que o país tem de conseguir uma inflação "moderada e previsível" para evitar um impacto sobre a distribuição de renda. EFE alm/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.