Ministro da Defesa chileno analisa na Bolívia ajuda militar

La Paz, 15 jun (EFE) - O ministro da Defesa do Chile, José Goñi, chegou hoje a La Paz para analisar, amanhã, com o presidente da Bolívia, Evo Morales, os avanços conseguidos na cooperação militar bilateral, informou hoje uma fonte oficial.

EFE |

Goñi e chefes militares do Chile chegaram por volta de 12h (hora local) ao aeroporto militar de El Alto, fronteira com La Paz, e foram recebidos pelo vice-ministro de Defesa boliviano, general Wilfrido Vargas, e pelo chefe do Exército, general Freddy Mackay.

Segundo uma fonte do ministério chileno, Goñi se reunirá amanhã com Morales e o titular de Defesa boliviano, Wálker San Miguel, para analisar o avanço dos planos de cooperação e aprovar um programa de trabalho que aprofunde a relação entre as Forças Armadas das duas nações.

A reunião dará continuidade aos acordos alcançados na Bolívia em 2007 pela ex-ministra da Defesa do Chile Vivianne Blanlot, sobre troca acadêmico-militar, cooperação em treino para operações de paz e apoio em catástrofes naturais.

Bolívia e Chile não têm relações diplomáticas em nível de embaixadores desde 1978, quando fracassaram negociações para resolver a polêmica territorial entre os dois países.

Os bolivianos perderam seu acesso ao oceano Pacífico em uma guerra com o Chile travada no final do século XIX.

Por outra parte, a agenda política de discussões bilaterais estabelecida entre ambos os países será analisada em La Paz na próxima terça-feira pelos vice-chanceleres Alberto van Klaveren do Chile e Hugo Fernández da Bolívia.

Os vice-ministros avaliarão o cumprimento dessa agenda estabelecida em julho de 2006 pelos Governos de Michelle Bachelet e Evo Morales, e na qual figura o conflito histórico sobre o pedido boliviana de ter acesso ao mar. EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG