Ministro cubano diz que mudanças no Governo buscam acabar com burocracia

Havana, 28 mar (EFE).- O ministro da Cultura de Cuba, Abel Prieto, afirmou hoje que as destituições e mudanças no Governo da ilha, anunciadas no começo de março, buscam tornar o Executivo mais eficiente e menos burocrático.

EFE |

"Eu acho" que o objetivo é "um Governo mais eficiente, menos burocrático, (...) que responda às necessidades de uma conjuntura tão complicada", disse Prieto à Agência Efe sobre a remodelação que o presidente Raúl Castro efetuou no último dia 2.

Nesse dia, o chefe de Estado da ilha anunciou a destituição de oito ministros e de quatro vice-presidentes do Conselho de Ministros. Além disso, reformulou os ministérios, diminuido em dois o número total de pastas.

Entre os destituídos por Raúl estão o ex-chanceler Felipe Pérez Roque e o ex-vice-presidente do Conselho de Estado Carlos Lage.

Sobre eles, Prieto ressaltou que ambos "são companheiros que mantêm sua condição de militantes do Partido (Comunista de Cuba)" e "que reconheceram os erros que cometeram".

Após a destituição de Pérez Roque e de Lage, o ex-presidente Fidel Castro disse, sem citá-los, que "a doçura do poder pelo qual não fizeram sacrifício algum despertou neles ambições que os conduziram a um papel indigno", e que "o inimigo externo se encheu de esperanças com eles".

Depois, Pérez Roque e Lage apresentaram cartas quase idênticas, publicadas no jornal oficial "Granma", nas quais reconheceram "erros" não especificados e renunciaram a todos os seus demais cargos no Estado e no Partido Comunista.

"Eu não acho que é preciso criar com isso um grande racha ou um grande trauma", disse hoje o ministro da Cultura.

"Acho que é preciso considerar isto parte da política de nosso Governo de renovar permanentemente seu staff (equipe)", acrescentou.

Prieto declarou que as remodelações no Governo são "absolutamente legítimas" e "que não há por que questioná-las". Além disso, segundo o ministro, "muitas especulações foram criadas" em torno delas, "algumas verdadeiramente delirantes". EFE arj/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG