BOGOTÁ (Reuters) - O Ministro do Interior e da Justiça da Colômbia, Carlos Holguín, renunciou a seu cargo, afirmou na sexta-feira um funcionário da Presidência colombiana. Não foram divulgados ainda os motivos pelos quais Holguín resolveu pedir afastamento, em caráter irrevogável, ao presidente Alvaro Uribe, na quinta-feira à noite. Nas últimas semanas, o ministro não conseguiu ver aprovados, pelo Congresso do país, importantes projetos de lei defendidos pelo governo.

Holguín, 67, membro do Partido Conservador, também divulgou há pouco tempo ter planos para concorrer à Presidência em 2010.

O Partido Conservador faz parte da coalizão que apóia Uribe e desempenhou um papel fundamental na reeleição dele, em 2006.

O presidente escolheu o assessor da Presidência Fabio Valencia para substituir Holguín, que ocupava o cargo desde agosto daquele ano.

Valencia, 60, membro ele também do Partido Conservador, foi presidente do Congresso colombiano e fez parte da equipe de negociadores do governo do ex-presidente Andrés Pastrana nos esforços malsucedidos de selar a paz com a guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), esforços esses realizados entre 1999 e 2002.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.