Bogotá, 20 jul (EFE).- O ministro do Interior colombiano, Fabio Valencia, disse hoje que o tempo proposto pelo presidente do país, Álvaro Uribe, para um diálogo direto de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) está acabando.

Em entrevista à agência nacional "Colprensa", Valencia disse que "as Farc devem pensar seriamente nessa proposta, porque o tempo está acabando".

"As Farc, como já foi reiterado, estão chegando a seu fim", acrescentou Valencia ao comentar as valorizações dos altos comandantes de seu país no sentido de que a guerrilha, fundada em 1964, entrou em processo de desaparecimento.

O ministro fez parte da equipe inicial com a qual o agora ex-presidente Andrés Pastrana assumiu o processo de paz mais longo da história entre o Executivo e as Farc.

O diálogo, de três anos, terminou em fracasso em fevereiro de 2002.

Segundo Valencia, "é mais fácil" dialogar com o chefe militar das Farc, Jorge Briceño, conhecido como "El Mono Jojoy", do que com o novo líder máximo da guerrilha, "Alfonso Cano", que sucedeu Pedro Antonio Marín, o "Manuel Marulanda" ou "Tirofijo".

No entanto, disse que Cano "tem responsabilidade e sua última chance".

As declarações de Valencia acontecem no dia em que os colombianos, além de comemorarem o Dia da Independência do país, saíram às ruas de todas as cidades do país para pedir a libertação dos seqüestrados em poder da guerrilha. EFE jgh/wr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.