Ministro colombiano diz que acusações contra guerrilheiros enfraquecem Farc

Bogotá, 12 jul (EFE).- As acusações das Farc contra dois dos carcereiros dos seqüestrados resgatados pelo Exército colombiano só contribuirá para mais deserções nesta guerrilha, disse hoje o ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos.

EFE |

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) "cometeram um novo erro. Essa acusação vai gerar mais desmobilizações, mais deserções, mais entregas" de guerrilheiros às autoridades, disse Santos.

O ministro da Defesa fez referência a um comunicado das Farc sobre a operação de resgate que permitiu a libertação de 15 reféns da guerrilha.

Segundo as Farc, no texto divulgado na sexta-feira, não foi uma libertação, mas sim "uma fuga" de seus seqüestrados e acusaram os guerrilheiros que os vigiavam de serem coniventes com isso.

Os dois guerrilheiros mencionados no comunicado rebelde e acusados de traição são Gerardo Antonio Aguilar, conhecido como "César", e Alexander Farfán Suárez, "Enrique Gafas", que eram responsáveis pelo grupo de reféns e que foram detidos na "Operação Xeque" de 2 de julho.

Santos disse confiar que a principal guerrilha colombiana aceite os pedidos do presidente colombiano, Álvaro Uribe, para negociar.

"Tomara que responda positivamente ao que se vem dizendo: a única coisa que cobramos é a paz. Que sentem para negociar de boa fé. O Governo está disposto a negociar com eles", disse o ministro colombiano. EFE rrm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG