Ministro colombiano afirma não entender para que serve o Conselho de Defesa Sul-Americano

O ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou nesta quarta-feira em Washington que ainda não sabe para que serve o projeto de um Conselho de Defesa Sul-Americano proposto pelo Brasil.

AFP |

Santos lembrou que a Colômbia rejeitou a princípio a idéia de Brasília de criar um Conselho Sul-Americano de Defesa e reiterou que foram estabelecidas condições para a entrada de Bogotá, decidida na semana passada.

"Agora, para que serve isto, ainda não sei", admitiu durante um discurso no Centro de Estudos para o Progresso Norte-Americano, um centro de análises de Washington ligado ao Partido Democrata.

A Colômbia aderiu ao projeto promovido pelo ministro brasileiro da Defesa, Nelson Jobim, depois de uma reunião entre os presidentes Alvaro Uribe, da Colômbia e Luis Inácio Lula da Silva, do Brasil, no dia 19 de julho em Bogotá.

As condições apresentadas pelo país andino, segundo Uribe, foram as de que as decisões "devem ser obtidas por consenso" e que "sejam reconhecidas apenas as forças institucionais autorizadas pela Constituição" dos países signatários.

Uribe também afirmou que na "declaração de princípios ou no estatuto deve haver uma rejeição total a grupos violentos, seja qual for a sua origem", referindo-se às guerrilhas de esquerda de seu país, o único das Américas que tem um conflito armado interno.

Santos acrescentou que a Colômbia também apontou como requisito que não existam restrições para nenhum dos membros do Conselho de Defesa que queiram formar "alianças" militares com terceiros países, por exemplo, com os Estados Unidos.

O Conselho de Defesa Sul-Americano proposto pelo Brasil estabelece, segundo informações reveladas até o momento, o estímulo aos intercâmbios para a formação militar, o fortalecimento da participação em missões de paz e missões de ajuda a regiões afetadas por desastres naturais, a promoção de exercícios militares conjuntos e a integração de bases industriais de Defesa na região.

mr/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG