Ministro chinês viaja ao Sudão para conseguir resgate de dois chineses

Pequim, 30 out (EFE).- A China enviou hoje uma delegação governamental, liderada pelo ministro de Assuntos Exteriores chinês, Yang Jiechi, para conseguir o resgate dos dois trabalhadores chineses do setor petroleiro que permanecem seqüestrados no Sudão, disse a porta-voz da Chancelaria, Jiang Yu.

EFE |

O Governo chinês confirmou hoje a morte de quatro cidadãos de um grupo de nove que foram seqüestrados em 18 de outubro na zona de jazidas petroleiras de Hayliy, na região ocidental de Kurdufan, vizinha a Darfur.

Desse grupo, outros três foram resgatados e dois continuam em paradeiro desconhecido.

A morte dos quatro trabalhadores chineses aconteceu durante uma tentativa de resgate do Governo sudanês, reconheceu Jiang.

No entanto, Pequim afirmou nesta mesma semana que o seqüestro não afetaria as relações institucionais com Cartum.

A delegação chinesa também inclui membros do Ministério de Comércio e da companhia petrolífera China National Petroleum Corporation (CNPC), na qual trabalham os seqüestrados.

Em entrevista coletiva, a porta-voz chinesa disse que a missão diplomática "negociará com a parte sudanesa", cuidará dos trabalhadores resgatados e tentará "levar os criminosos à Justiça".

Os seqüestradores, que acredita-se que pertençam ao grupo rebelde Movimento pela Justiça e Igualdade (MJI) de Darfur, solicitaram o pagamento de um resgate às autoridades locais em troca da libertação dos trabalhadores chineses. EFE gmp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG