Ministro chinês pede aos EUA suspensão de venda de armas a Taiwan

Pequim, 31 jan (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da China, Yang Jiechi, pediu hoje aos Estados Unidos para suspender a venda de armas a Taiwan e qualificou o plano de Washington de decisão errada, informou hoje a imprensa local.

EFE |

Yang, que está em visita oficial ao Chipre, exigiu que os EUA adotem uma atitude séria em relação à posição chinesa, respeitem seus interesses fundamentais, revoguem imediatamente a "decisão errada" e suspendam a venda de armas a Taiwan para não solapar as relações entre ambas as potências.

O ministro acrescentou que a China se opõe firmemente ao plano de Washington, já que "tal ação é contrária ao compromisso dos EUA de apoiar o desenvolvimento pacífico das relações entre ambos os lados do Estreito".

O Governo dos EUA manifestou na sexta-feira passada ao Congresso sua intenção de vender armas a Taiwan por um valor de mais de US$ 6 bilhões, incluindo helicópteros Black Hawk e baterias de mísseis Patriot, apesar dos protestos da China. EFE mmp/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG