Ministro britânico nega liberdade a Ronald Biggs

Londres, 1 jul (EFE).- O ministro da Justiça britânico, Jack Straw, não concedeu liberdade hoje a Ronald Biggs, conhecido como o ladrão do século, pelo famoso assalto ao trem postal Glasgow-Londres em 1963, na Escócia, por ele não ter se arrependido do crime.

EFE |

Apesar do precário estado de saúde e da avançada idade de Biggs, de 79 anos, Straw decretou que o criminoso deve continuar preso, apesar de a Comissão de Liberdade Condicional ter recomendo sua libertação, no dia 25 de junho.

O ministro qualificou como "inaceitável" que Biggs tenha descumprido a lei e tentado evitar as consequências de seus atos.

"O sistema legal do país merece mais respeito", afirmou Straw, ao ressaltar que se Biggs tivesse cumprido a sentença de 30 anos de prisão, imposta a princípio, "seria um homem livre há muitos anos".

Straw publicou sua decisão depois que Biggs foi hospitalizado, no fim de semana passado, por uma fratura no quadril e uma infecção pulmonar.

O próprio preso, que quase não consegue caminhar, nem falar e recebe alimentação através de um tubo, tinha solicitado a concessão da liberdade, antes de completar 80 anos, no dia 8 de agosto.

O advogado de Biggs, Giovanni Di Stefano, criticou a decisão de Jack Straw e antecipou que planeja uma revisão judicial do caso.

"Dez anos é suficiente. Isso mostra a cara perversa do Governo britânico. É um castigo cruel e incomum", explicou Di Stefano.

O "ladrão do século" tinha direito à liberdade por já ter cumprido um terço de sua pena de 30 anos, apesar de a decisão final estar nas mãos do ministro britânico.

O criminoso está internado no hospital da prisão de Norwich, no leste da Inglaterra e, se tivesse sido libertado, seus familiares tinham previsto sua mudança para um hospital de Barnet, ao norte de Londres, perto de onde vive seu filho, Michael, de 34 anos.

Biggs sofreu vários ataques cardíacos, problemas no cérebro e crises epilépticas, desde maio de 2001, quando decidiu se entregar à Justiça britânica, depois de se fugir para o Brasil, em 1965.

O preso se tornou famoso por ter cometido o chamado "roubo do século", no qual ele e 14 cúmplices roubaram aproximadamente US$ 4,2 milhões do trem de Glasgow, em agosto de 1963. Esse foi a maior soma roubada até então em um único assalto.

Após cumprir somente 15 meses dos 30 anos de sua pena, Biggs fugiu da prisão de Wandsworth, no sudoeste de Londres e fugiu para Paris e depois para a Austrália, até chegar ao Brasil. EFE pa/pd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG