interesse vital - Mundo - iG" /

Ministro britânico diz que êxito no Afeganistão é de interesse vital

Londres, 11 nov (EFE).- O ministro da Defesa do Reino Unido, John Hutton, disse hoje que seu Governo confia no êxito da intervenção militar no Afeganistão, porque a segurança desse país asiático tem um interesse nacional vital para o Reino Unido.

EFE |

Em declarações à "BBC", Hutton comparou os ataques terroristas do 11 de setembro de 2001 contra os EUA, que motivaram a guerra no Afeganistão, com a invasão alemã na Bélgica em 1914 (I Guerra Mundial) e na Polônia em 1939 (Segunda Guerra Mundial).

Como ocorreu nas duas guerras mundiais, o que ocorre fora das fronteiras britânicas tem um impacto direto na segurança da população do Reino Unido, disse o ministro, em clara referência à situação no Afeganistão.

Insistiu em que não se pode esquecer as razões pela qual os militares britânicos estão no Afeganistão.

"Fomos ao Afeganistão para defender nossos vitais interesses nacionais no Reino Unido", disse Hutton, ao lembrar hoje o dia do armistício que colocou fim à Primeira Guerra Mundial (1914-18).

"Todos podemos lembrar o risco que representou para o Reino Unido e nossos amigos e aliados quando o Afeganistão era administrado pelos talibãs, quando (a rede terrorista) Al Qaeda tinha a liberdade de manifestar sua fúria e ódio para o Ocidente e os valores que representamos", disse o ministro.

"Se isso acontecesse outra vez, se os talibãs tivessem o controle do Afeganistão e a Al Qaeda voltasse, teríamos que enfrentar as conseqüências do terrorismo internacional, não só no Afeganistão, mas em Londres, Birmingham, Glasgow, Cardiff, em cada grande cidade do mundo", disse.

Hutton qualificou a situação no Afeganistão como um conflito "inacreditavelmente difícil", já que a vitória - acrescentou - deve ser obtida no campo de batalha e nos aspectos políticos e econômicos.

"Tem um interesse nacional fundamental para o Reino Unido e é por isso que queremos que isso tenha uma conclusão bem-sucedida", acrescentou. EFE vg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG