Ministro britânico deixa o cargo e pede renúncia de Brown

Em mais um sério golpe na autoridade do primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, o secretário de Trabalho e Previdência do país, James Purnell, pediu renúncia nesta quinta-feira e afirmou que o premiê também deveria deixar o cargo.

BBC Brasil |

Em uma carta publicada na edição desta sexta-feira de diversos jornais do país, Purnell afirmou que a continuidade do trabalhista Brown como primeiro-ministro fará com que uma vitória do opositor Partido Conservador seja "mais provável".

"Eu acredito que a continuidade (de Brown) na liderança torna uma vitória dos conservadores mais, não menos, provável. Isto seria desastroso para o país", afirmou Purnell.

"Peço que o senhor se afaste (do cargo) para dar ao nosso partido uma chance de lutar por uma vitória. Dessa forma, eu estou renunciando ao governo", diz a carta, que é endereçada ao próprio Brown.

O anúncio foi feito após o fechamento das urnas das eleições municipais parciais e para a escolha de novos representantes britânicos no Parlamento Europeu.

Purnell é o terceiro alto membro do gabinete de Gordon Brown que apresenta sua renúncia nos últimos três dias, mas é o primeiro que pede abertamente pela renúncia do primeiro-ministro e que deixa o governo sem ter seu nome envolvido no escândalo de gastos oficiais que abala a política britânica.

Desafio

Segundo um porta-voz do gabinete do premiê britânico, Brown teria ficado "desapontado" com o pedido de afastamento de Purnell, mas descartou um pedido de renúncia.

"O primeiro-ministro está desapontado com a renúncia de James Purnell", disse o porta-voz.

Ele disse ainda que Brown "continuará dando sua atenção para os grandes desafios que o país enfrenta, colocando os interesses do povo britânico sempre em primeiro lugar".

Para o editor de política da BBC, Nick Robinson, esta foi a primeira vez que um ministro do gabinete de Brown o desafia diretamente.

Segundo Robinson, a renúncia de Purnell é uma mensagem para os membros do Partido Trabalhista para que pensem sobre a liderança de Brown.

Nos últimos meses, a Grã-Bretanha tem passado por uma série de escândalos envolvendo o uso de verbas oficiais por parte de membros do Parlamento.

Reembolsos de gastos com estrume para uso em jardins, manutenção de piscinas e pagamento de salários para governantas escandalizaram a opinião pública.

Reações

Outros membros do gabinete de Brown, incluindo o chanceler David Miliband e o secretário da Defesa, John Hutton, expressaram seu apoio ao primeiro-ministro após a renúncia de Purnell.

O parlamentar trabalhista Barry Sheerman, no entanto, sugeriu uma votação sobre a continuidade da liderança de Brown entre os membros do Partido Trabalhista no Parlamento.

"Há um grande número de parlamentares que estão muito insatisfeitos com a presente situação", disse Sheerman à BBC.

Após a renúncia de mais um membro do gabinete britânico, o líder do Partido Conservador, David Cameron, afirmou que o governo do país está "se quebrando" e pediu pela convocação imediata de eleições gerais.

"Em um período de recessão profunda e crise política, precisamos de um governo forte e unido. No lugar disso, temos um governo que está se quebrando na frente de nossos olhos", disse.

Leia mais sobre: Gordon Brown

    Leia tudo sobre: gordon brown

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG