Berlim, 5 set (EFE).- O ministro da Defesa da Alemanha, Franz-Josef Jung, insistiu em que não houve vítimas civis no bombardeio de dois caminhões-pipa por aviões aliados no sul da localidade afegã de Kunduz, cuja explosão deixou mais de 50 mortos.

"Segundo todas as informações de que disponho, na operação executada por um avião americano, morreram exclusivamente talibãs terroristas", afirma Jung, em entrevista antecipada hoje pelo dominical alemão "Bild am Sonntag".

O Ministério da Defesa da Alemanha anunciou já na sexta-feira, poucas horas depois do bombardeio, que não havia vítimas civis na operação militar, ordenada por um oficial alemão, depois que um grupo de insurgentes capturou dois caminhões-pipa na madrugada e as forças alemãs iniciaram a perseguição.

Um porta-voz militar comunicou hoje, em Berlim, que as forças alemãs que averiguaram o ocorrido no lugar onde aconteceu o bombardeio tiveram que repelir uma agressão a tiros de insurgentes, mas que conseguiram continuar seu trabalho de esclarecimento.

O ataque aéreo contra os guerrilheiros talibãs foi ordenado pessoalmente pelo comandante-em-chefe das forças alemãs da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) em Kunduz, segundo o ministério alemão.

A versão alemã de que não houve vítimas civis contrasta com a oferecida pelas autoridades afegãs locais, que falam de até 100 mortos, entre eles mulheres e crianças. EFE jcb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.