Berlim, 11 jul (EFE).- O ministro do Interior alemão, Wolfgang Schäuble, advertiu hoje que a Alemanha poderia sofrer um atentado terrorista nos dias anteriores às eleições gerais de setembro.

"Não devemos ficar loucos. Mas seria irresponsável não levar a sério esses indícios", disse Schäuble, durante um congresso da União Democrata-Cristã (CDU) realizado em Asperg (sudoeste da Alemanha).

Segundo o ministro, os terroristas queriam, assim, frustrar as eleições alemãs de 27 de setembro, nas quais a CDU da chanceler alemã, Angela Merkel, parte como favorita.

Schäuble disse que serviços secretos "amigos" encontraram indícios na internet de que poderia acontecer na Alemanha um atentado como o de Madri em 11 de março de 2004, que provocou a morte de quase 200 pessoas.

O ministro insistiu nos últimos meses em que o perigo de atentados na Alemanha é "real", diante do aumento de pessoas vinculadas a movimentos islâmicos e das que tiveram treinamento em acampamentos terroristas da Al Qaeda.

"A ameaça para a Alemanha parte de islamitas vinculados a nosso país", afirmou Schäuble em maio, ao apresentar o relatório anual do Escritório de Proteção da Constituição - os serviços de observação interna - sobre terrorismo e violência radical.

O relatório constata um aumento das "viagens" a acampamentos de instrução da "Al Qaeda" ou grupos associados a este movimento na fronteira afegão-paquistanesa.

A radicalização ocorreu especialmente em pessoas da segunda geração de imigrantes e entre alemães convertidos.

A Alemanha está no ponto de mira do terrorismo islâmico, devido a sua participação no conflito afegão.

Atualmente, estão sendo julgados na Audiência Territorial de Düsseldorf quatro supostos membros da célula terrorista Sauerland, radicada na Alemanha, por pertencer à União para a Jihad Islâmica.

EFE nvm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.