não tem futuro na Alemanha - Mundo - iG" /

Ministro afirma que energia nuclear não tem futuro na Alemanha

Berlim, 11 nov (EFE).- O ministro alemão de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, assegurou hoje que a energia atômica não tem nenhum futuro na Alemanha, depois dos grandes protestos e bloqueios diante da chegada de 11 contêineres de resíduos nucleares ao depósito de Gorleben, no norte do país.

EFE |

Em um congresso regional do Partido Social-Democrata (SPD), do estado federado de Brandeburgo, Steinmeier classificou de "grande e correto" o plano de abandono da energia nuclear estipulado pelo Governo anterior dos verdes e socliastas, comandados pelo então chanceler Gerhard Schröder.

Ele destacou os esforços realizados pela Alemanha na busca de fontes energéticas alternativas e assinalou que a provisão diversificada da energia é cada vez mais uma questão de futuro.

De acordo com Steinmeier, será necessário reforçar os encontros internacionais para analisar as fontes energéticas alternativas, não só no marco do Grupo dos Oito países mais industrializados do mundo (G8), mas também dentro do G20, com emergentes como China, Índia, México e Brasil.

O Ministério do Interior da Baixa Saxônia informou hoje que o dispositivo policial mobilizado entre sexta-feira e a madrugada de hoje devido aos protestos antinucleares gerou um custo de 20 milhões de euros, com o qual considera que devam contribuir o resto de estados federados.

Com quase 24 horas de atraso pelos incessantes bloqueios dos manifestantes, o comboio com resíduos nucleares procedente da fábrica francesa de Hague chegou na madrugada de hoje ao depósito de Gorleben.

A Polícia alemã tinha passado pouco antes pelo último trecho da estrada até o cemitério nuclear dessa localidade, onde oito ativistas permaneciam amarrados a pirâmides de concreto para impedir a passagem dos resíduos atômicos.

Uma vez eliminado o último obstáculo, o comboio de caminhões pesados especiais, fortemente escoltado por unidades policiais, precisou de menos de uma hora para cobrir os 20 quilômetros que separam a estação de trem de Dannenberg do depósito de Gorleben.

O comboio transportava 17 toneladas de resíduos vitrificados e hermeticamente fechados que, junto com os contêineres do tipo TN-85 que os continham, somavam um total de 100 toneladas.

No passado, estes transportes geraram batalhas campais entre manifestantes e forças policiais antidistúrbios, mas nos últimos anos o movimento antinuclear havia perdido vigor.

A de agora é a maior mobilização contra estes transportes desde 2001.

O plano da chanceler alemã, a conservadora Angela Merkel, de rever o plano de fechamento das usinas nucleares estipulado por seu antecessor, o social-democrata Gerhard Schröder, reativou os protestos.

Há oito anos, o Governo anterior havia firmado com a indústria do setor um abandono progressivo desse tipo de energia, de modo que a última usina nuclear fosse desligada entre 2020 e 2022. EFE nvm-gc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG